Blog de Marketing Digital

RECEBA NOSSOS CONTEÚDOS POR E-EMAIL

Tráfego Pago ou Tráfego Orgânico – Qual a melhor opção para sua empresa?

Esses dois tipos de tráfego são importantes para atrair mais visitantes ao seu site e blog e aumentar as chances de que eles se tornem leads e clientes. Contudo, limitações de orçamento podem fazer com que você precise ser mais cauteloso quanto aos investimentos em cada opção. Por isso, é importante entender a diferença entre elas antes de tomar uma decisão entre tráfego pago ou tráfego orgânico.

Um site sem tráfego é como uma loja física vazia: sem movimento, não há vendas. Afinal de contas, é preciso que as pessoas cheguem até você antes de qualquer outra coisa. Enquanto no caso de uma loja física você poderia pensar, por exemplo, em escolher uma rua movimentada para fixar endereço e ser visto por um grande número de pessoas, na internet, a “rua” mais movimentada é a primeira página dos buscadores, porque existe o hábito de pesquisarmos sobre um produto antes de efetivamente comprá-lo. Sendo assim, para que o seu alcance seja o maior possível, faz-se necessário investir em técnicas que promovam o seu lugar ao sol e façam o seu site figurar entre os primeiros resultados das buscas. No entanto, quais são os meios para isso? 

Conquistar a visibilidade necessária para ganhar cada vez mais novos clientes e aumentar a sua receita pode ser desafiador. Mas o Marketing Digital, mais uma vez, apresenta a solução: gerar tráfego no site, ou seja, fazer crescer o número de visitantes que chegam até a página do seu negócio!

O caminho rumo ao aumento do número de visitantes e à atração da audiência já foi dito: figurar nas primeiras posições dos resultados de uma busca no Google. Mas qual é o segredo?

Há duas formas para isso: pagando diretamente ao Google como um anunciante a fim de garantir o seu espaço (tráfego pago) ou investir em marketing de conteúdo aliado a técnicas de SEO (Search Engine Optimization) – ou seja, entender quais são os critérios para o Google elencar os sites nos resultados de uma busca e trabalhar em cima deles com vistas a obter cliques espontâneos (tráfego orgânico).

Esses dois tipos de tráfego são importantes para atrair mais visitantes ao seu site e blog e aumentar as chances de que eles se tornem leads e clientes. Contudo, limitações de orçamento podem fazer com que você precise ser mais cauteloso quanto aos investimentos em cada opção. Por isso, é importante entender a diferença entre elas antes de tomar uma decisão entre tráfego pago ou tráfego orgânico. Vamos lá? 🤓

O que é tráfego pago?

O tráfego pago, como o próprio nome indica, funciona da seguinte maneira: paga-se por um espaço privilegiado em determinada plataforma para atrair mais visitantes a uma página, o que é feito através de anúncios relacionados a palavras-chaves escolhidas pelo anunciante. Geralmente, o pagamento se dá por clique. Os formatos mais conhecidos de tráfego pago são os anúncios nas páginas de busca e as redes sociais.

Trata-se de uma modalidade bastante vantajosa para anunciar novas marcas e produtos no mercado, além de promoções, impulsionando o seu conteúdo e ampliando o alcance desse material em curto prazo, o que trará resultados mais rápidos.

Todavia, para que a taxa do seu tráfego orgânico seja constante, é necessário sempre ter anúncios ativos. Caso contrário, o tráfego cairá consideravelmente. Além disso, é preciso ser criterioso e verificar o público que frequenta cada plataforma, para ver se os seus anúncios serão visualizados pelas pessoas certas. 👩‍💻

Canais de tráfego pago

Os canais mais populares de tráfego pago são o Google Ads e o Facebook Ads, mas existem também outros canais, como o Bing Ads, o LinkedIn Ads e o Taboola.

No Google Ads, os anúncios criados são exibidos como resultados de buscas e em sites de parceiros. O pagamento é feito por clique: se ninguém clicar no seu link, você não paga nada. O seu funcionamento segue regras que envolvem o valor que você está disposto a pagar e a relevância do site para determinada pesquisa de acordo com o próprio Google. É possível segmentar a sua aparição de acordo com alguns critérios como tipo de dispositivo (mobile ou computador) e localização.

O Facebook Ads conta com uma capacidade ainda maior de segmentação (sexo, localização, idade, status de relacionamento, profissão etc) e funciona nas redes sociais do grupo, com destaque ao próprio Facebook e ao Instagram. Os anúncios podem ser veiculados em forma de texto, fotos e vídeos e podem direcionar o usuário para a sua página ou site. O pagamento acontece por cliques ou visualizações. 🖱️

Como mensurar o tráfego pago?

A fim de mensurar o tráfego pago, você deve definir métricas relevantes capazes de lhe comunicar se o objetivo das campanhas está sendo atingido. É comum que as próprias ferramentas onde se anuncia disponibilizem esses indicadores de maneira facilitada. Preste atenção, principalmente, à taxa de cliques e à taxa de conversões: elas dirão se a sua mensagem está efetivamente despertando interesse e atraindo clientes em potencial. 📈

O que é tráfego orgânico?

Na nossa comparação entre tráfego pago ou tráfego orgânico, chegou a vez de falar deste último. A sua ideia principal consiste em promover a sua marca de maneira indireta, contribuindo para tornar a relação entre cliente e empresa na mais natural possível. Mas como isso ocorre?

No tráfego orgânico, os visitantes chegam até você por meio de pesquisas nos mecanismos de buscas (como o Google, por exemplo), graças à correspondência entre a palavra-chave buscada e a sua ocorrência no seu site ou blog.

Por essa razão, o marketing de conteúdo é um grande aliado do tráfego orgânico: por meio da postagem de conteúdos relevantes sobre temas que envolvem o seu produto ou o seu serviço, o Google te localizará com mais facilidade e incluirá os seus resultados para as buscas dos usuários.

Todavia, a posição ocupada pelo seu site é decisiva para o sucesso dessa estratégia: afinal de contas, a grande maioria das pessoas só clica nos links da primeira página. Sendo assim, além de produzir conteúdo relevante, é preciso estar atento à forma como os buscadores ranqueiam os seus resultados. A ótima notícia é que existem técnicas que você pode seguir para fazer isso e melhorar o seu tráfego orgânico. 👣

Como melhorar o tráfego orgânico?

Melhorar o seu tráfego orgânico trará enormes vantagens, como um relacionamento duradouro com o público, aumento da sua autoridade no ramo perante os usuários e perenidade, ou seja, a permanência do seu conteúdo nos primeiros resultados das buscas independentemente de quanto tempo faz que você publicou aquele material – contanto que você aplique bem as técnicas de SEO

Essa sigla de apenas três letras que se desmembra em Search Engine Optimization deve ser a sua grande aposta para melhorar o tráfego orgânico e colher os frutos do seu trabalho.

Isso significa que a produção do seu conteúdo deve estar alinhada a práticas que recebem avaliação positiva dos buscadores na hora de elencar os resultados de uma busca. Como exemplos, citamos a escolha da palavra-chave, que deve ser relacionada à área de atuação e às personas do seu negócio e o modo de apresentação do seu texto.

Uma ótima ferramenta para descobrir as palavras-chave com mais potencial é do próprio Google: trata-se do Google Keyword Planner, ou planejador de palavra-chave do Google.

Os resultados do tráfego orgânico levam mais tempo para aparecer do que aqueles obtidos com o tráfego pago. Lembre-se de que produzir conteúdo de qualidade demanda tempo e requer periodicidade, já que isso também é levado em consideração pelos algoritmos dos buscadores na hora de fazer o ranqueamento. 

Para isso, os custos envolvidos no tráfego orgânico são outros: ao contrário do tráfego pago, ele não tem um custo direto, já que você não paga diretamente pelos cliques da visita. Os seus custos, no entanto, estarão concentrados naqueles fatores que levaram a sua página às primeiras posições dos buscadores: a manutenção do seu site, a contratação de profissionais para produzirem conteúdo e ranqueá-lo, entre outros. 🥇

Como mensurar o tráfego orgânico?

A fim de mensurar o tráfego orgânico, estabeleça algumas métricas importantes para atingir o seu objetivo e as monitore, como o total de visitas no site e a relação entre novos visitantes e aqueles que estão visitando você novamente.

Existem algumas ferramentas que contribuem para você mensurar o tráfego orgânico de maneira objetiva. O próprio Google tem a sua: o Search Console, que exibe a eficiência das suas estratégias e dá conselhos para melhorar as suas ações. 🔎

Qual é a diferença entre tráfego pago e tráfego orgânico?

A principal diferença existente entre tráfego pago ou tráfego orgânico está no tempo que se leva para que os resultados sejam percebidos e o investimento necessário em cada um deles, bem como o impacto que cada modalidade irá gerar na sua estratégia de marketing. Vamos a algumas considerações.

Você já sabe que para figurar na primeira página do Google é possível investir em tráfego pago e tráfego orgânico. Mas como o público reage às diferentes formas de atração?

Segundo o blog da rockcontent, em média, 71,33% das buscas resultam em cliques nos resultados orgânicos da primeira página dos buscadores, enquanto apenas 1,91% das buscas resultam em cliques nos resultados pagos da primeira página. 

Para que seja possível conquistar o seu espaço nas primeiras posições em vez de pagar por ele e beneficiar-se das vantagens do tráfego orgânico, no entanto, é preciso ser paciente, pois os resultados são de longo prazo.

No tráfego orgânico, o custo por lead é maior inicialmente e vai diminuindo gradativamente, apesar de os resultados também demorarem um pouco para aparecer quando comparados aos do tráfego pago, que tendem a ser imediatos.

Como o próprio nome já diz, o tráfego pago depende do investimento direto em anúncios pagos para aparecer na primeira página. Quando você para de investir nisso, o seu link é removido. Por isso, é comum que os anúncios pagos façam parte de estratégias de campanhas mais ocasionais. O tráfego orgânico, por sua vez, permite que você continue bem colocado e gerando leads mesmo com conteúdos antigos, o que garante estabilidade e autoridade à sua marca.

É possível comparar o tráfego pago e o orgânico fazendo uma analogia com alugar ou comprar um imóvel, respectivamente. Talvez seja mais rápido alugar e você consiga um imóvel que não está à venda no momento, ou cujo proprietário está demorando para dar uma resposta. Você precisa de um lugar para morar logo. Assim, acaba alugando, o que deixa tudo mais fácil de início. No entanto, ao longo do tempo, você percebe que, por mais que esteja pagando um valor alto mensalmente, o imóvel não é seu: assim que você deixar de pagar, deve desocupá-lo imediatamente. No caso da compra, o cenário é diferente: de início, provavelmente foi mais caro e levou mais tempo para encontrar o que você queria. Além disso, o imóvel precisava de reformas: trabalho duro! Contudo, conforme o tempo foi passando, foi tudo ficando do seu jeitinho e o orçamento começou a ficar mais leve, afinal, as reformas foram sendo concluídas. E o melhor de tudo: ele é seu! É claro que você precisa mantê-lo e isso envolve certos custos, mas o seu lugar está conquistado e o seu trabalho duro será reconhecido. 🏠

Conclusão

No fim das contas, percebe-se que ambos os tráfegos se complementam: a decisão de investir em tráfego pago ou tráfego orgânico deve ser pautada em aspectos como objetivo, custo-benefício, urgência de resultados e os recursos que você está disposto a investir, bem como o tempo em que você fará esse investimento.

Se o seu objetivo for conquistar uma base sólida e crescente de leads com um custo cada vez menor, não deixe de considerar o Marketing de Conteúdo para o seu negócio.

Todavia, no caso de estratégias de marketing para lançamentos e ampliação do seu alcance, destinar parte da sua receita para os anúncios é uma ótima ideia.

E aí, gostou do nosso post sobre tráfego pago ou tráfego orgânico? Comente abaixo e compartilhe com os colegas! 😉

Anúncios online Google Ads e FaceAds - PrimesoftAnúncios online Google Ads e FaceAds - Primesoft

😴 Não perca Clientes para o Concorrente

Se você ainda não investe em anúncios na internet, com 100% de certeza podemos afirmar que você está perdendo clientes para seus concorrentes. Apesar da mensagem ser dura, você precisa ouvi-la, ou continuará perdendo vendas importantes. As Campanhas de Anúncios online são oportunidades para que sua empresa consiga aumentar as venda, mesmo sem possuir grandes orçamentos para compra de mídia paga. A plataforma do Google Ads, bem como a do Facebook Ads (que também serve para o Instagram), permite a criação de anúncios performáticos com orçamentos significativamente inferiores às mídias tradicionais, como TV e rádio. Com uma verba de mídia de R$ 2.000 / mês já é possível colocar sua primeira campanha de divulgação para rodar, com gestão profissional realizada pela equipe da Primesoft.

Entre em contato conosco

Quer receber mais conteúdos como esse em seu e-mail?

Preencha o formulário abaixo para receber nossos conteúdos e torne-se um membro da comunidade PRIME!
Informe o seu nome.
Informe o nome da empresa.
Informe um e-mail válido.